Youtube na Smart TV: tendências e transformações

Se por décadas a TV reinou como principal fonte de informação, entretenimento e lançadora de tendências, hoje ela compete com inúmeras “novas telas” virtuais. Para demonstrar como a definição de entretenimento e vídeo estão mudando com esse novo cenário, o Think with Google revelou alguns dados e tendências que envolvem o uso do Youtube na Smart TV. Fique de olho!

Uma mudança de comportamento: o YouTube na Smart TV

Pode parecer um passado distante, mas até alguns anos atrás se você quisesse conferir o seriado ou programa de TV preferido, tinha que programar a agenda ou gravá-lo. Com a popularização do Youtube na Smart TV e das plataformas de streaming, porém, assistir aos vídeos preferidos, sem horário ou dia certo, se tornou algo recorrente. Nesse sentido, o Think with Google indica que mais da metade das pessoas entre 18 a 40 anos nos Estados Unidos, por exemplo, já não são são expectadores frequentes da TV tradicional.

O conteúdos produzidos pelas emissoras, porém, continuam gerando interesse, já que nos últimos dois anos tivemos o dobro de tempo de usuários assistindo aos conteúdos de canais oficiais das emissoras de TV no YouTube! Há também uma mudança gradual de tela: se antes o YouTube era mais associado aos computadores e dispositivos móveis, no último ano tivemos o aumento de 70% de usuários que assistem aos vídeos preferidos direto na TV.

O que isso significa? Que pessoas ainda estão consumindo os conteúdos gerados pelos canais tradicionais de TV, mas têm no uso do Youtube na Smart TV a referência de lazer, com o benefício de poderem ver os programas preferidos no horário que desejarem, quantas vezes quiserem. Assim, o YouTube vai gradualmente assumindo o papel de central de informação que antes as grandes emissoras desempenhavam.

Outra mudança indicada pelo YouTube é que hoje as pessoas não buscam apenas o vídeo de um programa, mas procuram também vídeos associados que falem mais profundamente sobre aquele tema, para entenderem mais o contexto. Como exemplo, para cada hora que os espectadores assistiram da série Game of Thrones na TV, eles gastaram cerca de meia hora no YouTube buscando vídeos relacionados com a série, como conteúdos que explicassem a narrativa, mostrassem detalhes de personagens, do elenco ou fizessem previsões para os próximos episódios.

Diariamente já são consumidos mais de 1 bilhão de horas de vídeos do YouTube. Com tanto conteúdo disponível e rotinas cada vez mais atribuladas, a plataforma indica que vídeos com o apelo de “veja o que você perdeu”, que falem destaques de entretenimento ou que façam recapitulação de filmes e séries cresceram nas buscas, o que pode indicar que mesmo os mais ocupados querem se manter atualizados sobre os lançamentos.

E você? Está acompanhando essas mudanças?

Com essas mudanças na forma de compartilhar, assistir e debater conteúdos através do Youtube na Smart TV, é necessário refletir como esse hábito está afetando a cultura e a nossa rotina de uma forma geral. É fácil perceber que para as novas gerações os youtubers têm o mesmo fascínio que as celebridades “tradicionais” e que a ideia de se programarem para assistir TV não faz mais sentido. Desprezar essa evolução pode ser anacrônico. Assim, mesmo que não possamos falar do fim da TV, podemos determinar que a TV como conhecemos, com suas grades fechadas e inacessíveis, está gradualmente perdendo relevância. Acompanhar esse movimento pode ser determinante para quem quer se manter relevante, independente da plataforma.