Por que os influenciadores digitais são procurados pelas marcas?

Inscreva-se para receber novidades, insights e dicas sobre marketing digital diretamente em seu email.

Com o papel que antes era ocupado pelas estrelas da TV e da música, hoje os influenciadores digitais se tornaram os novos queridinhos das marcas para promoverem lançamentos, eventos e serviços. Apesar de tão populares, porém, é necessário que a estratégia e conteúdos seja bem planejados para conseguir os melhores resultados.

Dos blogs aos eventos sociais

Pode até parecer algo recente, mas essa movimentação começou há aproximadamente uma década, quando as primeiras blogueiras e canais do Youtube surgiram com a proposta de oferecer um conteúdo mais pautado nas experiências pessoais ou assuntos que antes não ganhavam destaque na grande mídia. Assim, de lá pra cá, a quantidade de influenciadores digitais e assuntos abordados só aumentou, com produtores de conteúdos que conquistaram uma audiência fiel em diferentes canais, como blogs, Instagram, Twitter ou canais do Youtube.

Diferente das estrelas da música ou da TV, os influenciadores digitais são mais próximos da rotina do público, assim, enquanto as celebridades “tradicionais” muitas vezes têm dificuldade em se afastar da imagem dos personagens e estilos que interpretam, os influenciadores oferecem um conteúdo mais espontâneo, emocional, atendendo aos nichos específicos de interesse.

Gigantes digitais como Windersson Nunes, o youtuber piauiense com mais seguidores no Brasil, Felipe Neto, Kéfera, PC Siqueira ou Felipe Castanhari, por exemplo, hoje contam com milhares de fãs e já extrapolam os limites do online, com produtos, campanhas, shows, livros e até filmes. O sucesso, porém, não veio à toa: muitos deles estão criando conteúdos há anos e entenderam que além de carisma é necessário entender o que o público deles buscam na internet.

Um influenciador para chamar de seu

A pesquisa do Instituto QualiBest indicou que o poder de influência dos influenciadores atualmente só perde para indicação de amigos e parentes na hora de fazer uma compra ou escolher um serviço, sendo a segunda fonte de informação mais relevante para tomar uma decisão desse tipo.

Sair distribuindo convites, brindes e propostas de parcerias para qualquer um, porém, não é o caminho da popularidade: é importante que o influenciador tenha conteúdos e seguidores em sintonia com sua marca e posicionamento. De nada adiantará ter um youtuber sensação entre jovens, com conteúdos de humor, para uma ação de lançamento de carros, por exemplo.

Além disso, é cada vez mais recorrente a indicação em apostar em pequenos e médios influenciadores, já que eles mantém normalmente um bom engajamento e abordam assuntos mais específicos, o que ajuda a manter um público mais selecionado e interessado. Assim, muito mais importante do que o número de seguidores, para uma boa estratégia é necessário avaliar justamente o tipo de conteúdo, postura e público que esse influenciador mantém.

Todo trabalho com influenciadores deve ser encarado, dessa maneira, como uma parceria profissional com vantagens para ambas as partes. É importante reforçar que apesar de muitos influenciadores toparem parcerias para divulgarem eventos, locais ou produtos gratuitamente, eles não têm obrigação de falarem de todos os brindes e convites recebidos, a menos que sejam pagos e contratados previamente para isso. Por isso, é importante que antes de entrar em contato com os influenciadores haja um plano de campanha bem detalhado, com os objetivos claros dessa estratégia.

Seguindo essas orientações, os influenciadores digitais podem servir como uma importante ponte com o público desejado, dando ainda mais credibilidade, espontaneidade e criatividade para o posicionamento da sua marca.