MENU

25% dos usuários globais só utilizam a navegação mobile

Se hoje usar aplicativos pelo celular é algo banal, há 10 ou 15 anos parecia uma tecnologia saída direto de filmes de ficção. É por isso que cada vez mais estudos e pesquisas demonstram como a popularização dos smartphones e tablets afetou diretamente nossos hábitos e comportamentos, como o Estudo Global do Mobile, realizado e divulgado pela comScore.

A pesquisa analisou o comportamento de audiências da internet e de aplicativos móveis em smartphones e tablets, com um resultado que oferece um retrato global do impacto do mobile.

Assim, de acordo com a pesquisa, hoje o mobile já é responsável por mais da metade de todos os monitores digitais em 13 mercados. Em países como o México, Índia e Indonésia, esse número já ultrapassa os 75%, enquanto no Brasil a quantidade chega aos 73%, número superior ao da China (67%), Estados Unidos (63%) ou Canadá (59%), por exemplo.

Já o acesso “mobile only”, em que apenas o smartphone ou tablet é utilizado sem o uso do desktop, registrou um aumento de 22% para 29% no Brasil, uma tendência observada também em outros mercados. Para se ter ideia, na Índia e Indonésia esse número já chega quase aos 70%, com grande aderência tanto de homens quanto das mulheres.

O que as pessoas estão procurando no mobile?

De acordo com o estudo, hoje os aplicativos lideram a dominância do tempo gasto no mobile, representando 80% do tempo em que estamos com os celulares ou tablets. No Brasil, o tempo é ainda maior: 89%, o que demonstra um grande potencial para aplicativos de serviços, como o Uber, ou de comunicação, como o Whatsapp.

Na prática, esse comportamento está afunilando cada vez mais serviços e conteúdos exclusivos para navegação mobile, como as mensagens instantâneas, apps de comunicação e de clima, por exemplo. Não por acaso, as redes sociais e os aplicativos de mensagens estão entre as ferramentas mais populares no mobile, representando ¼ do minutos gastos no mobile.

Quando falamos em negócios, seja com serviços bancários ou compras online, hoje o mobile já ultrapassa o desktop em alguns países, como no Brasil, EUA e França, seja pela praticidade ou segurança, como demonstra o gráfico:

Um dado curioso que a pesquisa revela é que apesar da navegação mobile crescer e amadurecer em diferentes regiões, hoje mais da metade dos usuários não baixam mais novos apps, especialmente entre o público entre 35 e 54 anos, que estão mais suscetíveis a deletarem os apps que não façam parte da rotina ou sejam antigos. Apenas os mais jovens, entre 18 a 34 anos, costumam procurar novos aplicativos para teste ou lazer. Na prática, a tendência é que novos apps comecem a estagnar e que o uso se concentre em aplicativos já consolidados, o que representará um desafio para quem deseja entrar neste mercado.

Com a confirmação da expansão e consolidação do mobile em todo o mundo, resta saber se você (e se negócio) está preparado para atender essa nova realidade! Os canais digitais de sua empresa já são mobile?